Autoestima – saiba como Intensificar a Sua

A autoestima é a sensação geral de uma pessoa sobre si ou seu valor pessoal que envolve uma série de crenças, tais como comportamento, emoções e aparência. As experiências de vida ajudam a formar as crenças sobre nós mesmos. A maneira como você experimentou o passado, a ausência de carinho ou punição dos pais corresponde a determinados padrões que podem influenciar na maneira como você se vê hoje. A autoestima é uma das motivações humanas básicas. As pessoas sentem a necessidade da estima de outras pessoas bem como o respeito próprio. Essa necessidade deve ser satisfeita para que você possa alcançar a auto-realização. 

Características de Pessoas com Alta Autoestima

Pessoas com alta autoestima sabem que os altos e baixos são temporários. Elas entendem que ninguém consegue estar bem e se sentir feliz todos os dias. Encaram as críticas com mais naturalidade e são capazes de analisarem a si mesmas, reconhecendo seus pontos fortes e fracos. Já para aquelas pessoas com baixa autoestima, os altos e baixos podem impactar drasticamente a maneira como se vêem porque sentem a necessidade de aceitação e elogios dos outros o tempo todo.

PRECONCEITO

De acordo com o Wikcionário, o preconceito é o “Conceito formado com base em julgamento próprio que exige tom depreciativo de diferença; análise tendenciosa; discriminação provocativa”. Podemos dizer que preconceito é parte do combustível que alimenta a baixa autoestima. Ele age como um radar que detecta qualquer coisa que se encaixa com suas idéias negativas sobre si mesmo. Você se antecipa e acredita que tudo vai dar errado filtrando qualquer hipótese que se contradiz com essa crença. Não se permite analisar os fatores positivos. Por exemplo: se você se acha feio e alguém elogia a sua aparência, logo pensa que realmente é feio e somente hoje está um pouco melhor. Você não avalia a possibilidade de que a outra pessoa quis somente ser gentil. 

Dicas para elevar a sua autoestima

1 – Identificar a origem

Identifique as situações que lhe causam preocupação. Por exemplo: a situação financeira, a vida conjugal, uma desavença com o colega de trabalho…

2 – Pensamentos limitantes
Depois de identificar condições ou situações preocupantes, preste atenção aos seus pensamentos sobre eles. Verifique de que maneira você interpreta e qual o grau de  importância que você está dando aos fatos no que diz respeito a si mesmo. Seus pensamentos e crenças podem ser positivos, negativos ou neutros. Quando você se torna consciente do que está pensando e sentindo, pode escolher e praticar novos comportamentos enviando mensagens ao cérebro que o ajudarão a elevar a sua autoestima.
3 – Preconceito
Os seus pensamentos sobre você ou sobre determinados fatos ou pessoas podem não ser a única forma possível de ver uma situação. Alguns pensamentos têm o poder de minar a sua autoestima. Será que você está tendo algum deles? Veja a seguir:
– tirar conclusões precipitadas: você já tira suas conclusões negativas sem sequer saber o que de fato aconteceu;
– confundir sentimentos com fatos, por exemplo: eu me sinto feio, então eu devo ser feio;
– auto-humilhação. Você subestima a sua própria capacidade, se coloca pra baixo e se conscientiza de que não merece nada melhor;
– é tudo ou nada, não busca alternativas, o bom senso, se não for cem por cento certo não serve, por exemplo: se eu não passar no concurso não sirvo pra nada;
– converter atos positivos em negativos onde suas realizações possuem menos valor que suas derrotas, por exemplo: só passei porque as perguntas eram fáceis demais.

A maioria das pessoas pensam de forma automática, esses pensamentos são de longa data, fruto de experiências anteriores que elas acreditam, mas na verdade são apenas percepções e opiniões.

Ajuste seus pensamentos

– Perdoe-se: os erros são momentos isolados e não podem ser considerados como reflexos permanentes de sua pessoa. Todo mundo comete erros e nem por isso são más pessoas e nem deixam de merecer a felicidade.

– Questione os pensamentos negativos, eles não devem ser ignorados e sim questionados para que você possa entendê-los e transformá-los.

– Não coloque muitas exigências sobre si mesmo (eu deveria, eu devo, eu tenho que), isso só irá te sobrecarregar e você precisa de espaço mental para enxergar a realidade de forma mais clara.

– Somente pensar positivo não basta, considere as habilidades que você utilizou em alguma situação difícil e lembre-se de como saiu delas. Isso irá ajudar você a enxergar o lado bom das coisas, evitando o pessimismo.